Fandom

Scratchpad

Encontros

215,647pages on
this wiki
Add New Page
Discuss this page0 Share

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.

ENCONTRO PRIMEIRO
A distância nos faz tentar reter e recordar cada menor instante.
No primeiro dia (domingo), sentamos lado a lado no primeiro bar, e eu

disse que você me parecia muito familiar, que tinha um rosto *amigável* pra mim (não sei de onde tirei isso!!!). Tentamos achar o que podíamos ter em comum (será que não nos conhecemos de algum lugar?): Martinho, Adriana, Saúde, Fiocruz. ... depois te vi dançar de vestidinho (só imagino...) e você me perguntou se eu tinha problema em que uma mulher me pagasse uma cerveja (não lembro dessa!)... e falamos do quanto aquela música tribal e primal mexia conosco (você também sente assim? Fica meio "fora"?) depois nos sentamos de novo lado a lado no bar. graças a mim, porque a outra menina (amiga de moema - a do lacinho? não sabia dessa...que cretina...) já tinha puxado a cadeira pra sentar-se justo no lugar que eu tinha destinado a você, e eu meti outra cadeira no meio, entre eu e moema, e eu pulei por cima da cadeira, justamente para poder também ficar ao seu lado... cochichamos coisas, combinamos de ir ao terreiro... eu dizia à moema coisas que eu queria que você soubesse. você descobriu que eu era ariana (qual foi mesmo teu comentário? eu não posso com arianas, algo assim...) e que fazia aniversário no "dia do índio" (mais coincidências??), e que tinha a vênus em touro (informação do Martinho...) depois, te abracei por último, na saída do táxi, e disse que não deixaria você se perder de mim (e eu pensando... só isso?? rsrsrsrs!) na madrugada, teus bilhetinhos (meu impulso embebedado) e a aprendizagem (muito rápida!) significativa... no dia seguinte (segunda), você foi à praia e eu ao congresso, e nos encontramos à noite (e eu te convidei para passar a tarde comigo em Itapoã... mas vc foi às compras...), pra jantar (também demorou pra caralho rsrsrsr) e (tacitamente) sair. você estava bela demais, azul! conversas, confissões e verdades (*enrolada*) e mais conversas, debaixo de chuva na bahia, de frente à casa de iemanjá. beijos muito despretensiosos... (e você me deixou bonitinha enfrente ao flat... no meio da chuva... e eu pedi um lugarzinho na tua agenda...) na terça, você veio encontrar-se comigo no pelourinho (viu como sou uma menina de iniciativa, vc já me propôs te encontrar lááá no congresso, lembra? vc parecia tentar se afastar, mas eu insistia em ficar do teu lado... grudentinha desde o início! rsrsrs), almoço (perdemos o martinho!), a volta pelo dique, esdras, o taxista de nome grego (?), a rosa branca (cujas pétalas ainda tenho comigo) e caipirinhas que ficaram pra próxima. e aí você sentou ao meu lado, e escreveu lindamente sobre o inesperado... e inesperadamente me deu um cd lindo, de encontro e aproximação, entre o erudito e o iorubá... e me mostrou também a música da Amelinha, vislumbrando Salvador inteira pela janela... não deu pra desgrudar mais. a noite, encontro, beijos no meio do batuque, minha demora com as amigas (putzzzzz... e que demora... quase fui embora.......rsrsrsrs!), mais conversas no bar. depois, a praia deserta. o mousse de chocolate... depois, o quarto e a nudez, a intimidade, o calor, a pele, o cheiro de sabonete... de corpo, tuas mãos, teus carinhos, teu abraço, um calor, muito calor, uma paazzz... e mais uma vez eu fui tão insistente, quase inconveniente... você não achou?? a quarta foi prolongamento de terça, o sol nascendo em você (dentro e fora), a minha camisa, o almoço... irremediavelmente atados. um ENCONTRO!!! De fato, com muitas maiúsculas e pontos de exclamação. não vamos esquecer da muqueca de siri mole... de lá até aqui, modos de vencer a distância, a saudade, o desconhecimento do outro. de lá até aqui, a poesia, a academia, as banalidades, as famílias, o cinema, as letras, a voz - outros tipos de desnudamento. de lá até aqui, sempre crescendo, minha adoração.

ENCONTRO SEGUNDO
Minha adorada, meu doce amor solto e grudento, escrevo sob o impacto de nossos três dias juntos em tua cidade, pra que você leia logo de manhã, quando chegar ao trabalho. na verdade, não tenho muito mais a dizer além do que nos dissemos na última meia hora do encontro segundo. tua imagem no hall do elevador, chegando, virando prum lado e pro outro e sorrindo pra mim me ocupa como um fotograma subliminar. também a imagem da partida, voltando rápido, me dando um beijo e depois dando uma corridinha rápida e rebolativa pra descer. e muitas, muitas, muitas outras imagens. de teu rosto e cabelos sobre o meu, tua boca aberta, lábios inchados e vermelhos de febre, tua pele macia, tão macia, tão macia e cheirosa, cada detalhe de roupas e objetos largados... a sensação que eu tenho agora, que tua presença não sai da minha, quando não vejo defeito em ti, é que você me tem completamente, que o que sou depende do que você quiser que eu seja, que estou nas tuas mãos! fiquei muito feliz com algumas coisas que você me disse, feliz por ter te feito bem. sim, temos sido adultos, maduros e temos tido um cuidado lindo um com o outro, desde o início. você não tem que aprender serenidade, temos só que praticá-la juntos. mas, como disse che guevara, não exatamente com essas palavras, *hay que mantener la serenidad, pero sin perder el tesão jamás!* (falar do tesão entre nós é bobagem, ele está em cada troca de olhar, parece não ter fim e destinado a crescer, à medida em que a gente faz memória e deixa nossos corpos aprenderem um com o outro!).
Quando você disse, uma hora, que achava que estava sendo melhor pra você do que pra mim, eu juro que pensei: *você não tá enteindeindo!...* foi MUUUUITO bom pra mim! eu não me lembro, nessa vida looonga (rsrsrs) que tive até agora, de ter vivido em algum momento (quase) três dias em cima de uma cama com ninguém, e com amor toda hora, e tanto desejo o tempo todo! Quantas vezes e como? perdi a conta! e nem podia ser assim *quantitativo*, porque misturava tudo: carinhos, penetrações, gozos, ternura-tesão (tesura?), muito *qualitativo*... e eu sabia que, se eu gozasse tudo de uma vez, perderia muito tempo... aí segurava, pra prolongar nossos prazeres o máximo! e eles eram prolongados! sinto muito, não dá pra enjoar do que é bom! você queria mais? eu também queria e quero! certo, vou me preparar fisicamente rsrsrs! E você também deve! ou acha que só eu é que perdia o ar??? rsrsrsrs...

sei que te adoro e te adoro!

Tenho sonhado intensamente com você, também. hoje de manhã, fiquei na rede mais uma horinha depois que falei contigo, e tive sonho tão real, de te abraçar, de afundar o rosto entre teus seios, de sentir teu calor... ontem, hoje - dias sem você - tem ocorrido coisas estranhas e constrangedoras... de repente, pau duro, no meio do dia, em casa de amigos em são paulo, criando comunidades virtuais e sites, por nada, graças a um pensamento ou a uma memória... rsrsrs... como faço??? vê o que você faz comigo? e a 1.000 km de distância!!!
ENCONTRO TERCEIRO
Flashbacks e mais flashbacks: de você me esperando atrás do vidro do aeroporto com uma rosa branca, das velinhas iluminando o caminho até a cama, da tua casa, tua rede, eu embaixo, um sono bom, eu em cima, as paisagens do rio de janeiro passando rápido, encaixes, do vento no rosto e nos cabelos, excessos e umidades, do por do sol do alto de um castelo, tua mão escrevendo delicadamente em mim, de você segurando minha perna na moto, de cada vez que eu te esperava e você chegava, dos amigos que quis que conhecesse, das músicas e palavras que escolheu pra mim, da vida que quis partilhar comigo! Obrigada, amor!

Also on Fandom

Random wikia