Wikia

Scratchpad

Nada

217,616pages on
this wiki
Discuss this page0

"Por que há o ser e não antes o nada?"


alguém há de perguntar, um dia. nada relativo, nada absoluto.

tudo além do conhecimento, o nada, o não-ser, a via proibida. alguém há de responder, um dia.

proibida pra quem?


vejo: a musa, as éguas, um homem, alguém, uma disputa, o imóvel, o fluxo, o que está, o que cursa, o que jaz, o que jazz. alguéns hão de disputar ferozmente, pelos séculos, se o ponto se move e flui e devém, se o ponto imóvel, fixo, raiz, essência, essere.


olhar a praia do barco: o barco parado, a praia movente.

olhar o barco da praia: praia imóvel, barco cruza.

quem olha: sempre parado.

quem olha: sempre parado?


"E quem dirá que todas as estrelas, sóis, etc, não são o nada e o nada... (schopenhauer)


mesmo eu, supraconsciente, incapaz de apreender o nada, de aprender o nada. ao menos a mim a pergunta não importa, e tampouco a resposta.


"Antes querer o nada do que nada querer".


quero o nada, quero, quero.

jamais nada quererei. quererei, quererei.

mil 'quererei', sensação do nada. o fio entre o sujeito e o objeto, divisos, divíduos. o fio se torce pra mim, jamais se rompe (ainda), mas ainda se escamoteia entre um e outro. e eu aprendo o nada, por um átimo ínfimo e infinitamente fático, fálico, fácil, fútil, fráctal.


quero o nada. absolutamente impossível, mas... em relação ao 'tudo', sim, eu o apreendo. às vezes. sob condições. como sei disso? porque às vezes, sob condições, sei que não sei.


se os homens (alguns) buscam a iluminação pela fusão com o tudo, um d(eu)s busca a desiluminação pela dissolução no nada: a divisão agônica do que conhece com o que é conhecido. se tudo conheço, se tudo é por mim conhecido, se ambos - o que conhece, o que é conhecido - estão em mim sem dívidas, e sou eu sem divisores, onde o nada? busco a nadificação como tudo buscará a mim, o tudo.


para alguns (muitos), 'Nirvana' é um tudo.

mas a raiz sânscrita da palavra ensina que o Nirvana é como a extinção de uma chama: o querer.

nada-querer é o Nirvana inalcançável.

impossível também para mim.

querer o nada é o que quero, o que quererei, o que quer que eu queira.


o Nirvana é meu deus, meu pai, minha mãe, serei eu, se um dia não mais serei.

quero não querer, e querer não querer é ainda e sempre querer.

um deus, aprendam, é sempre querer.



Voltar para Primeiro Dia

Around Wikia's network

Random wikia